Eco-friendly: Beto Carrero World elimina o uso de canudos plásticos

Na última semana, o maior parque temático da América Latina anunciou a substituição de canudos plásticos por canudos de papel em seus restaurantes.

A medida segue uma tendência mundial estabelecida em 2018 e demonstra a preocupação ambiental do parque em relação ao meio ambiente, a estimativa é que a iniciativa elimine 1 milhão de canudinhos do planeta por ano.

Todos os estabelecimentos do parque que servem refeições e bebidas, serão identificados com um selo de conscientização, dessa maneira, trará aos turistas a possibilidade de ajudar o meio ambiente com um gesto simples.

O parque possui uma base do Projeto Tamar em sua área, o que permite o contato diário com a questão ambiental. Além desta ação com os canudos de papel, o parque possui diversas ações em prol da causa, como: reciclagem, preservação de espécies, tratamento de efluentes, educação ambiental para escolas da região, entre outras.

Canudos de plástico, o grande poluidor dos oceanos

No ano de 2018 o assunto foi excessivamente exposto por ambientalistas de todo o mundo, isso porque os canudos plásticos podem demorar até 400 anos para se decompor, uma vez que são produzidos a partir do polipropileno ou do poliestireno (derivados do petróleo). Chegam aos oceanos sendo carregados pelos ventos ou pelas chuvas para os rios ou diretamente para o mar, consequências do descarte inadequado.

Em pesquisa realizada pela revista científica Science, foi descoberto
que a humanidade gera um total de 275 milhões de toneladas de resíduos plásticos por ano, sendo que mais de 5 milhões chegam aos oceanos.

No mar, o plástico pode ser ingerido por animais, tanto inteiros como fragmentados,e dependendo da sua quantidade e densidade, obstruir a passagem da luz e interferir no processo da fotossíntese das algas. Quando ingeridos inteiros, podem obstruir as vias aéreas ou o tubo digestório e prejudicar as funções vitais dos animais, podendo levá-los à morte.

A mudança é necessária: a Organização das Nações Unidas (ONU) estima que em 30 anos tenha mais resíduos deste tipo no oceano do que peixes.

No ano de 2018, Fernando de Noronha também anunciou que o uso de plástico será banido da cidade. Símbolo de turismo sustentável, o arquipélago proibiu a entrada, a comercialização e o uso de canudos, copos, pratos, talheres, garrafas e sacolas plásticas e isopor na ilha. No mesmo ano empresas como McDonald’s (no Reino Unido e Irlanda) e Starbucks também demonstraram suas preocupações e baniram o uso em alguns países.